Daqui cem anos não importará:
o tipo de carro que dirigi,
o tipo de casa que morei,
o tipo de roupas que vesti e
nem quanto eu tinha depositado no banco.

Mas o mundo poderá estar um pouco melhor, isso porque:
fui importante na proteção da vida e na formação de pessoas: fui BIÓLOGA, fui PROFESSORA.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Apostila Completa (Genética - Ecologia e Evolução) para 3º ano EJA

Olá Alunos e professores de Biologia,

Deixo para vocês usufruírem minhas aulas de Biologia feitas para o 3º ano da EJA (Educação de Jovens e Adultos). Trata-se de planos de aula completos e diários, além  do plano de curso abrangendo as habilidades a serem alcançadas pela EJA de acordo com o CBC de Biologia.

Muitas partes do material estão organizadas de modo a facilitar o uso de xérox pelo professor.

Para baixar clique aqui

Acesse também minhas aulas em power-point sobre os assuntos abordados nos planos de aula clicando em Aulas de Biologia para 3º ano EJA

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Aulas sobre Sistemas reprodutores, Puberdade e Fecundação para alunos Incluídos

Deixo nesta postagem planos de aula completos para trabalhar os temas:
 - Sistemas reprodutores feminino e masculino,
 - Puberdade
 - Fecundação

Trata-se de planos de aulas feitos para alunos com dificuldade de aprendizagem, principalmente aqueles que não conseguem escrever com agilidade devido à alguma deficiência física.

Espero que gostem!

                                                 Para baixar os planos de aula clique aqui

domingo, 20 de abril de 2014

Aula para alunos incluídos sobre Introdução ao Corpo Humano


Disponibilizo meus planos de aula para Introdução ao Corpo Humano.São Aulas para alunos com dificuldades de aprendizagem, mas que com a ajuda de um professor consegue ter bom rendimento intelectual.

Para acessar os planos de aula Clique aqui


Espero que gostem. 
Aproveitem para conferir as outras postagem sobre o assunto Inclusão: aulas sobre Inclusão

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Aula completa de Histologia para 1º ano da EJA

Olá alunos e professores,

Nesta postagem deixo uma aula em power-point de Histologia Básica apropriada para o 1º período da EJA (Educação de Jovens e Adultos).
Aproveitem a aula para revisar o assunto e para fixar o que já fora anteriormente aprendido.

Nesta postagem você encontra também uma material teórico para acompanhar de forma mais aprofundada o tema.

Confira também outros assuntos de Biologia para o 1º ano da EJA em: material de estudo

Espero que gostem.


Para baixar esta aula clique aqui


Introdução à histologia

Histologia  significa o estudo dos tecidos dos vivos de vegetais e animais. O termo vem do grego hydtos (tecido) +logos (estudo). São analisados quesitos como função, estrutura, origem, evolução, etc.
Todos os indivíduos que possuem tecidos são multicelulares, mas não o contrário. Assim, de todos os seres vivos, somente alguns animais e plantas possuem essas estruturas.

Os tecidos são classificados em:
1. Tecidos epiteliais
2. Tecidos conjuntivos
3. Tecido sanguíneo
4. Tecidos musculares


Estrutura e função dos tecidos epiteliais

O epitélio de revestimento funciona como uma membrana isolante que reveste todas as superfícies internas e externas do organismo.
As células que compõem a pele (revestimento externo) são bastante grudadas umas às outras, através de estruturas chamadas desmossomos, no qual pequenos filamentos de proteínas presentes nas membranas plasmáticas se enlaçam, dando firmeza às células. Não existem artérias ou capilares sanguíneos nesse epitélio, a oxigenação das células ocorre por difusão com células do tecido conjuntivo. É por isso também, que essa camada de pele não sangra.
O tecido epitelial pode apresentar glândulas tais como: glândulas sebáceas, sudoríparas e mamárias.

Os epitélios de revestimento podem ser classificados de várias maneiras: 
- quanto ao número de camadas:
·         uniestratificado ou simples: uma única camada
·         estratificado ou pluriestratificado: muitas camadas
- quanto à forma, as divisões são feitas em:
·         Pavimentoso, 
·         Cúbico
·         Prismático (Colunar ou Cilíndrico).


Estrutura e função dos tecidos conjuntivos

Os tecidos conjuntivos são os responsáveis pelo estabelecimento e manutenção da forma do corpo, fazendo a ligação entre as diferentes células e órgãos, mantendo-os unidos e dando suporte mecânico. Em uma analogia simples, em que os órgãos e células seriam os tijolos de uma parede, o tecido conjuntivo seria como o cimento que os une.
Estruturalmente o tecido conjuntivo possui três componentes: células, fibras e substância fundamental. 
As principais células do tecido conjuntivo são os fibroblastos, os leucócitos e as células adiposas.

·         Os fibroblastos produzem as fibras e a substância fundamental, além de estarem envolvidos na produção de fatores de crescimento, que controlam o crescimento e a diferenciação celular.
·         Os leucócitos são as células de defesa, eles produzem anticorpos, fagocitam corpos estranhos (bactérias ou partículas) e modulam reações alérgicas e inflamatórias.
·         As células adiposas estocam gordura, que serve de reserva energética e produção de calor.
Os tecidos conjuntivos são divididos em:
Tecido conjuntivo propriamente dito – É o tecido conjuntivo que faz a estruturação e o suporte.

Tecido Adiposo – Constituído por células adiposas, chamadas adipócitos. é o maior depósito corporal de energia, armazenada em forma de lipídios (a gordura). Ele também serve para modelar a superfície do corpo, sendo responsável pelas diferenças da silhueta masculina e feminina. Ele também forma coxins sobre a pele, oferecendo importante proteção contra choques mecânicos, por exemplo, na planta dos pés, na palma das mãos e nas nádegas. E como a gordura não é bom condutor de calor, o tecido adiposo constitui ainda um isolante térmico para o corpo.

Tecido Cartilaginoso – Possui consistência rígida, oferecendo suporte para os tecidos moles. Reveste também as superfícies articulares, absorvendo choques e facilitando o deslizamento dos ossos nas articulações. Ele é também o principal constituinte dos ossos no feto e no recém-nascido, diferenciando-se em tecido ósseo e promovendo o crescimento da criança.

Tecido Ósseo - Forma os ossos, o principal constituinte do esqueleto. Dá suporte ao corpo e protege órgãos vitais, como o cérebro na caixa craniana e os pulmões e o coração dentro da caixa torácica. Serve de apoio aos músculos esqueléticos, proporcionando movimentos úteis aos membros. Ele também protege e aloja a medula óssea, formadora das células sanguíneas. Serve ainda de depósito de cálcio, fosfato e outros íons, possibilitando regular a liberação destes no sangue quando necessário.




                  Estrutura e função do tecido sanguíneo

O sangue (originado pelo tecido hemocitopoiético) é um tecido altamente especializado, formado por alguns tipos de células dispersas num meio líquido – o plasma .

Os constituintes celulares são: 
- glóbulos vermelhos (também denominados hemácias ou eritrócitos);
- glóbulos brancos (também chamados de leucócitos).

O plasma é composto principalmente de água com diversas substâncias dissolvidas, que são transportadas através dos vasos do corpo. Todas as células do sangue são originadas na medula óssea vermelha a partir das células indiferenciadas pluripotentes (células-tronco). Como consequência do processo de diferenciação celular, as células-filhas indiferenciadas assumem formas e funções especializadas.

Plaquetas
Plaquetas são restos celulares originados da fragmentação de células gigantes da medula óssea. Possuem substâncias ativas no processo de coagulação sanguínea, sendo, por isso, também conhecidas como trombócitos (do grego, thrombos = coágulo), que impedem a ocorrência de hemorragias.

Glóbulos vermelhos
Glóbulos vermelhos, hemácias ou eritrócitos (do grego, eruthrós = vermelho, e kútos = célula) são anucleados, possuem aspecto de disco bicôncavo. São ricos em hemoglobina, a proteína responsável pelo transporte de oxigênio, a importante função desempenhada pelas hemácias.

Glóbulos brancos
Glóbulos brancos, também chamados de leucócitos (do grego, leukós = branco), são células sanguíneas envolvidas com a defesa do organismo.
Os leucócitos são classificados em granulócitos e agranulócitos. Os granulócitos apresentam grânulos específicos em seu citoplasma e são classificados em três tipos, conforme a afinidade dos grânulos: neutrófiloseosinófilos e basófilos. Já os agranulóides podem ser monócitos e linfócitos.


Estrutura e função dos tecidos musculares

tecido muscular é constituído células altamente especializadas em realizar contrações. Suas células são alongadas, multinucleadas ou não, contendo em seu citoplasma grandes quantidades de filamentos de proteína contrátil, dentre eles os principais: actina e miosina. É um tecido altamente vascularizado e inervado, grande consumidor de energia e produtor de calor.
Existem diferentes tipos de tecidos musculares no corpo humano. De acordo com suas características morfológicas e funcionais, eles foram classificados em três tipos: Músculo estriado esquelético, estriado cardíaco e músculo liso.

·         Tecido Muscular estriado esquelético: está presente em maior quantidade no corpo humano. Ele está preso ao nosso esqueleto através dos tendões e permite que realizemos movimentos variados como andar, correr, pegar ou manipular objetos. A contração é forte, rápida, descontínua e voluntária.

·         Tecido muscular estriado cardíaco: como o próprio nome sugere, são encontradas apenas no coração. Assim como o músculo esquelético, o cardíaco possui células longas, cilíndricas e estriadas, porém são ramificadas. A contração deste músculo é rápida, forte e involuntária, ou seja, independe da nossa vontade. Portanto, é também contínua, já que uma contração desencadeia outra, e assim sucessivamente.

·         Tecido muscular liso: Ele é encontrado nos órgãos internos, como intestino, bexiga e útero, sendo responsável pelos movimentos realizados pelos mesmos, como o peristaltismo, a expulsão de urina e as contrações do parto, respectivamente. Também é encontrado na parede dos vasos sanguíneos, onde ajudam a regular a pressão sanguínea. A contração é lenta, fraca e involuntária.







quarta-feira, 2 de abril de 2014

Aulas em power-points - Livro de Ciências de Carlos Barros e Wilson Paulino - 7º ano



Coloco aqui minhas aulas em power-point de capítulo do livro de Ciências dos autores Carlos Barros e Wilson Paulino - 7º ano (imagem ao lado)

São aulas interativas ótimas para entender e apreciar de forma dinâmica cada capítulo do livro.

Aproveitem
Foram feitas com muita dedicação




Para baixar a aula referente ao Capítulo 1 clique aqui


Para baixar a aula referente ao Capítulo 2 clique aqui


Para baixar a aula referente ao Capítulo 3 clique aqui


Para baixar a aula referente ao Capítulo 4 clique aqui

terça-feira, 1 de abril de 2014

Aula completa de Genética para 3º ano EJA (Educação de Jovens e Adultos) e 9º ano de Ciências

Olá professores e alunos de Biologia,

Nesta postagem deixo uma completa apostila de Genética ideal para alunos da EJA (Educação de Jovens e Adultos) e para alunos do 9º ano de Ciências. Deixo também aulas em Power-point sobre os principais assuntos abordados na apostila de genética. 

Na apostila vocês vão encontrar várias atividades para fixar o conhecimento adquirido em cada aula.

Espero que gostem, foi feita com muito carinho para meus alunos da Escola Estadual Domingos Justino Ribeiro e espero que sirva também para outros alunos e professores. 



Apostila de Genética

Para baixar a apostila em pdf (o download é totalmente grátis) clique aqui
Para baixar a apostila em word (o download é totalmente grátis) clique aqui



Unidade I – GENÉTICA – IMPORTÂNCIA E EVOLUÇÃO DA GENÉTICA
Introdução
REPRODUÇÃO dos seres vivos e reprodução celular
Reprodução dos seres vivos
Reprodução celular
ATIVIDADES - Introdução à genética- Reprodução dos seres vivos e reprodução celular
Transmissão dos caracteres hereditários
Os experimentos de Mendel
ATIVIDADES - Primeira Lei de Mendel - Lei da Segregação dos Fatores
ATIVIDADES 2 - Primeira Lei de Mendel - Lei da Segregação dos Fatores
ATIVIDADES 3 -Primeira Lei de Mendel - Lei da Segregação dos Fatores
Construindo heredogramas
ATIVIDADES - Construindo Heredogramas



Unidade II – GENÉTICA – OS SISTEMAS SANGUÍNEOS
Introdução.
O Sistema ABO
ATIVIDADES - Sistema ABO
O Sistema Rh
Eritroblastose Fetal
ATIVIDADES - Sistema Rh e Eritroblastose fetal


Unidade III – A HERANÇA LIGADA AO SEXO
A determinação do sexo
A herança ligada ao sexo
ATIVIDADES  - Determinação do sexo  - A herança ligada ao sexo



Aulas em Power-point de Biologia sobre Genética

Unidade I – GENÉTICA – IMPORTÂNCIA E EVOLUÇÃO DA GENÉTICA


                                        Para baixar a aula de Introdução à genética clique aqui



                                        Para baixar a aula da 1º lei de Mendel clique aqui

Unidade II – GENÉTICA – OS SISTEMAS SANGUÍNEOS

Para baixar a aula sobre tipos sanguíneos clique aqui



segunda-feira, 31 de março de 2014

Tipos sanguíneos - Sistema ABO Fator RH e Eritroblastose fetal

Para baixar a aula em power-point clique aqui


Introdução

Por volta de 1900, o médico austríaco Karl Landsteiner (1868 – 1943) verificou que, quando amostras de sangue de determinadas pessoas eram misturadas, as hemácias se juntavam, formando aglomerados semelhantes a coágulos. Landsteiner concluiu que determinadas pessoas têm sangues incompatíveis, e, de fato, as pesquisas posteriores revelaram a existência de diversos tipos sanguíneos, nos diferentes indivíduos da população.
Quando, em uma transfusão, uma pessoa recebe um tipo de sangue incompatível com o seu, as hemácias transferidas vão se aglutinando assim que penetram na circulação, formando aglomerados compactos que podem obstruir os capilares, prejudicando a circulação do sangue.

O Sistema ABO

No sistema ABO existem quatro tipos de sangues: ABAB O. Esses tipos são caracterizados pela presença ou não de certas substâncias na membrana das hemácias, os aglutinogênios, e pela presença ou ausência de outras substâncias, as aglutininas, no plasma sanguíneo.
Existem dois tipos de aglutinogênio, A e B, e dois tipos de aglutinina, anti-A e anti-B. Pessoas do grupo A possuem aglutinogênio A, nas hemácias e aglutinina anti-B no plasma; as do grupo B têm aglutinogênio B nas hemácias e aglutinina anti-A no plasma; pessoas do grupo AB têm aglutinogênios A e B nas hemácias e nenhuma aglutinina no plasma; e pessoas do gripo O não tem aglutinogênios na hemácias, mas possuem as duas aglutininas, anti-A e anti-B, no plasma.


Como ocorre a Herança dos Grupos Sanguíneos no Sistema ABO?


A produção de aglutinogênios A e B são determinadas, respectivamente, pelos genes A e B. Um terceiro gene, chamado i, condiciona a não produção de aglutinogênios. Trata-se, portanto de um caso de alelos múltiplos. Entre os genes A e B há co-dominância (A = B), mas cada um deles domina o gene i (A > i e Bi).


O Sistema Rh


Um outro sistema de grupos sanguíneos foi descoberto a partir dos experimentos desenvolvidos por Landsteiner e Wiener, em 1940, com sangue de macaco do gênero Rhesus. Esses pesquisadores verificaram que ao se injetar o sangue desse macaco em cobaias, havia produção de anticorpos para combater as hemácias introduzidas. Ao centrifugar o sangue das cobaias obteve-se o soro que continha anticorpos anti-Rh e que poderia aglutinar as hemácias do macaco Rhesus. As conclusões daí obtidas levariam a descoberta de um antígeno de membrana que foi denominado Rh (Rhesus), que existia nesta espécie e não em outras como as de cobaia e, portanto, estimulavam a produção anticorpos, denominados anti-Rh.



Analisando o sangue de muitos indivíduos da espécie humana, Landsteiner verificou que, ao misturar gotas de sangue dos indivíduos com o soro contendo anti-Rh, cerca de 85% dos indivíduos  apresentavam aglutinação (e pertenciam a raça branca) e 15% não apresentavam. Definiu-se, assim, "o grupo sanguíneo Rh +” ( apresentavam o antígeno Rh), e "o grupo Rh -“ ( não apresentavam o antígeno Rh).

A Herança do Sistema Rh

Três pares de genes estão envolvidos na herança do fator Rh, tratando-se portanto, de casos de alelos múltiplos.
 

Eritroblastose Fetal

A eritroblastose fetal, ou doença de Rhesus, doença hemolítica por incompatibilidade de Rh ou doença hemolítica do recém-nascido ocorre em 1 entre 200 nascimentos e consiste na destruição das hemácias do feto de Rh+ pelos anticorpos de mãe Rh-.
Para que exista risco de uma mãe de fator negativo dar a luz a uma criança Rh+ com a doença, deverá ter sido previamente sensibilizada com sangue de fator positivo por transfusão de sangue errônea ou, ainda, gestação de uma criança fator positivo, cujas hemácias passaram para a circulação materna.


Em razão dessa destruição, o indivíduo torna-se anêmico e, em face da deposição de bilirrubina em vários tecidos, poderá apresentar icterícia, cujo acúmulo substancial é tóxico ao sistema nervoso, podendo causar lesões graves e irreversíveis. Criança natimorta, com paralisia cerebral ou portadora de deficiência mental ou auditiva também pode ocorrer. Como resposta à anemia, são produzidas e lançadas no sangue hemácias imaturas, eritroblastos. A doença é chamada de Eritroblastose Fetal pelo fato de haver eritroblastos na circulação do feto.
Nos casos em que o filho é RH (-) e a mãe (+) não há problema, porque a produção de anticorpos pela criança só inicia cerca de seis meses após o nascimento.



sábado, 29 de março de 2014

Reconhecendo um ser vivo - Para alunos incluídos do 7º ano de Ciências

Olá professores de Ciências, 

Todos nós sabemos a dificuldade que é trabalhar com alunos com dificuldade de aprendizagem ou denominados de forma mais ampla como "alunos incluídos".

Abaixo vocês vão encontrar o planejamento de aulas sobre o Tema Reconhecendo um Ser Vivo para ser trabalhado com alunos do 7º ano de Ciências ou até mesmo no 2º ano do Ensino médio dependendo da dificuldade do estudante. 

As aulas são mistas e envolvem: escrita, leitura, interpretação básica, colagens, coloridos e raciocínio básico. 

Dica: É interessante montar as aulas em um caderno de Ciências que será oferecido aula após aula ao estudante, de modo que possa ser dado sequência lógica ao aprendizado. Muitas vezes, entregar folhas soltas para um aluno "incluído" acaba fracionando o conhecimento e não alcançando resultados satisfatórios. Além do mais, ficando o professor de posse do caderno vai haver tempo antes das aulas para que o professor prepare e organize o material para que o aluno o compreenda melhor. 

Espero que gostem. 


RECONHECENDO UM SER VIVO
Para baixar a aula em word clique aqui



terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Aula de Biologia para o 1º ano EJA - Educação de Jovens e Adultos

Olá professores e alunos de Biologia da EJA,

Nesta postagem deixo minhas aulas de Biologia para o 1º ano da EJA (Educação de Jovens e Adultos). As aulas estão diversificados e todas as matérias com exercícios variados. Sempre que possível procurei introduzir exercícios de vestibular para preparação dos alunos.  

Em algumas partes dos planos de aula as folhas estão duplas, isso foi feito para que o professor pudesse tirar xérox de uma página para dois alunos, e com isso economizar e facilitar a vida do estudante da EJA.

Abaixo você encontra os arquivo em pdf e word para você baixar gratuitamente as aulas. Você também encontrará aulas em power-point sobre os principais conteúdos a serem abordados durante o semestre do 1º ano da EJA. 

OBS: Não coloco respostas nos exercícios contidos no material das aulas,  pelo fato deste blog ser acessado por diversos alunos e professores do Brasil e consequentemente com todas as respostas on-line a vida do estudante estaria facilitada demais. O que poderia também ser ruim. Caso você seja professor, e necessite das respostas mande-me um e-mail que encaminho. 


Espero que gostem. 
Professora Fernanda Aires Guedes
Mateus Leme - MG


Aulas de Biologia para 1º ano EJA
Para baixar as aula em word clique aqui

Unidade 1 – Citologia
·         Introdução à Citologia
·         Características gerais das células
·         Teoria celular
·         Reprodução Celular
·         Características da Membrana Plasmática
·         Características do citoplasma
- Função geral das principais organelas citoplasmáticas
·         Características do núcleo

Unidade 2 – Histologia
·         Introdução à Histologia
·         Estrutura e função dos tecidos epiteliais
·         Estrutura e função dos tecidos conjuntivos
·         Estrutura e função do tecido sanguíneo
·         Estrutura e função do tecido muscular

Unidade 3 - Reprodução humana
·        Sistema genital feminino
·         Sistema genital masculino
·         Ciclo menstrual e Fecundação
·         Métodos contraceptivos
·         Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST)
·         Desenvolvimento fetal e Gravidez
·         Nutrição materno-fetal
·         Os benefícios da atividade física durante a gestação
·         Importância do pré-natal
·         Inseminação artificial, Fecundação in vitro e Barriga de aluguel
·         Gravidez gemelar

Aulas em Power-point de Biologia para o 1º ano EJA

Unidade 1 – Citologia
Para baixar a aula completa de Citologia em power point  clique aqui

Unidade 2 – Histologia
Para baixar a aula completa de Histologia em power point clique aqui





Unidade 3 - Reprodução humana (aula dividida em temas separados
Sistema genital feminino e Sistema genital masculino - Para baixar clique aqui


- Doenças Sexualmente Transmissíveis Para baixar




Ciclo menstrual - Gravidez e Parto Para baixar clique aqui



Com carinho, 
Todo este material foi produzidos para os meus alunos das turmas 1º  ano A, B e C da EJA da Escola Estadual Domingos Justino Ribeiro em 2014. 

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Aulas completa de CITOLOGIA em Power-point

Para baixar a aula completa de Citologia em power point  clique aqui


Introdução à Citologia

Citologia é a ciência que estuda as células. A palavra célula deriva do latim “cellula” diminutivo de cela ou quarto pequeno e significa pequeno compartimento. Foi vista pela primeira vez em 1663, pelo cientista Robert Hooke.
Todos os seres vivos são formados por células. Eles podem ser unicelulares (formados por apenas uma célula) ou pluricelulares (formados por várias células).
A célula é a menor unidade do ser vivo. No corpo humano há diferentes tipos de células, e cada tipo, desempenha uma função específica visando a manutenção da vida no organismo.

Características gerais das células
A célula é formada basicamente pela membrana plasmática citoplasma e núcleo.
O conjunto de células com mesma forma (aparência) e função formam os tecidos.



CÉLULA – TECIDOS- ÓRGÃOS – SISTEMAS – SER VIVO

·      Membrana plasmática é o envoltório da célula, é através dela que a célula ganha sua forma e seleciona as substâncias que entrarão ou sairão de seu interior (tudo que entra ou saí da célula tem que atravessar esta membrana). 
·         Citoplasma é composto por uma parte fluida onde ocorrem muitas reações químicas necessárias à vida da célula, ele engloba tudo o que há na célula desde a membrana plasmática até o núcleo, incluindo as organelas (órgãos das células).
·         Núcleo controla as funções das células, ele possui envoltório duplo e poros nucleares que fazem o controle do que se dirige de dentro dele ao citoplasma ou vice-versa. A grande maioria das células do corpo tem apenas um núcleo; contudo, há células que não o possuem (este é caso, por exemplo, dos glóbulos vermelhos) e há ainda aquelas que possuem vários (por exemplo, as células musculoesqueléticas).

Teoria Celular

Proposta no século XIX pelo botânico alemão Mathias Jakob Schleiden e pelo zoólogo também alemão Theodor Schwann.
A teoria celular se sustenta em três grandes pilares:
  1. “A vida existe somente nas células”: todos os seres vivos são compostos de células, ou seja, todas as reações do organismo dependem estritamente da atividade celular, e é através da célula que toda a energia necessária para o funcionamento do organismo é obtida, convertida, armazenada e aplicada.
  2. “As células provêm somente de células preexistentes”: uma célula se origina apenas da reprodução de outras células, havendo assim, a transmissão de material genético.
  3. “A célula é a unidade de reprodução e transmissão das características hereditárias.”: todos os caracteres genéticos são transmitidos de uma célula para outra no processo de reprodução.

Reprodução Celular

A reprodução é uma propriedade fundamental das células. As células se reproduzem através da duplicação de seus conteúdos e posterior divisão em duas células filhas, este processo é a garantia da continuidade das células.
Em organismos unicelulares, existe uma pressão seletiva para que cada célula cresça e se divida o mais rápido possível, porque a reprodução celular é responsável pelo aumento do número de indivíduos. Nos organismos multicelulares, a produção de novas células através da duplicação permite a divisão do trabalho, no qual grupos de células tornam-se especializados em determinada função.
Essa multiplicação celular, porém, tem que ser regulada porque a formação de novas células tem que compensar a perda de células pelos tecidos adultos. Um indivíduo adulto possui 10 x1013 (1.000.000.0000.000), todas derivadas de uma única célula, o óvulo fecundado. Mesmo em um organismo adulto, a multiplicação celular é um processo contínuo.
Do mesmo modo que uma fábrica pode ser multiplicada pela construção de várias filiais, também as células se dividem e produzem cópias de si mesmas. Há dois tipos de divisão celular: mitose e meiose.

a) Mitose: Processo de divisão celular onde uma célula origina duas células idênticas. As células que se formam são chamadas de diploides (2n) o que significa que possuem o número completo de cromossomos (1n da mãe + 1n do pai). A mitose tem como finalidade promover:
-          Crescimento do corpo;
-          Reprodução assexuada;
-          Produção de gametas em vegetais;
-          Produção de gametas em seres haploides (1n).

b) Meiose: Processo de divisão celular onde uma célula diplóide (2n) sofre duas divisões sucessivas e uma duplicação cromossômica e origina quatro células haplóides (n) que possuem a metade dos  cromossomos herdados.
A meiose tem como finalidade:
   - Produção de gametas em animais
   - Produção de esporos nas plantas





Principais características dos componentes básicos da célula

Membrana plasmática
·         Grande capacidade de movimentação e deslocamento de moléculas;
·         Retenção e transporte de outras moléculas de forma seletiva.
- Parede Celular: A parede celular, também chamada de parede celulósica, é uma estrutura que envolve a membrana celular nas células dos vegetais e dos organismos procariontes.

Citoplasma
·         Auxilia a morfologia da célula, relacionando à consistência do citosol e o armazenamento de substâncias indispensáveis à vida.
·         Local onde se situa a organelas citoplasmáticas.

- Organelas citoplasmáticas
·         Mitocôndrias: responsável pela geração de energia na célula animal.
·         Cloroplasto: responsável pela geração de energia na célula vegetal, através da fotossíntese.
·         Retículo endoplasmático rugoso: síntese de proteínas
·         Retículo endoplasmático liso: síntese de diversos lipídios, como o colesterol, hormônios esteroides e fosfolipídios.
·         Complexo de golgi: armazenamento, transformação, empacotamento e remessa de substâncias na célula.
·         Centríolos: divisão celular das células animais e na formação de cílios e flagelos.
·         Ribossomo: responsável pela produção das proteínas utilizadas pela célula, atuando sempre em grupo (polissomo);
·         Lisossomo: responsável pela digestão intracelular;


Núcleo
·         Contém a informação genética da célula.
·         Processo de divisão celular.
·         Possui uma membrana chamada carioteca em seres eucariontes.
- nucléolo: Bactérias e cianobactérias não possuem membrana nuclear e, portanto possuem o material genético solto no citosol da célula. São chamados de procariontes.